Plantão
Política

Erika Amorim, primeira dama do município de Caucaia é candidata a deputada estadual

Publicado dia 05/09/2018 às 07h22min | Atualizado dia 05/09/2018 às 15h43min
Primeira-dama de Caucaia, é candidata a deputada estadual e apresenta-se ao eleitorado com o slogan “Uma nova força para o Ceará”.

Primeira-dama de Caucaia, é candidata a deputada estadual e apresenta-se ao eleitorado com o slogan “Uma nova força para o Ceará”. Terá como bandeira eleitoral quatro temas prioritários: direitos das mulheres, família, fé e crianças e jovens.

Em Caucaia, Erika faz dobradinha com o deputado Domingos Neto

MN 

A senhora é hoje candidata a deputada estadual. Como se deu o processo de escolha do seu nome, que é cotado como uma das maiores apostas do PSD para a Assembleia Legislativa mesmo nunca tendo disputado uma eleição?

ERIKA

Olha, eu pensei muito se deveria aceitar o convite. Muito mesmo. Primeiro porque é uma responsabilidade imensa ter um mandato. A gente passa a ser pras pessoas o que elas têm de mais valioso: a esperança. E isso é uma coisa muito séria. Segundo porque eu participei da gestão do Naumi ativamente. Eu nunca quis ser uma primeira-dama de enfeite. Entrei com o espírito de fazer a diferença. Por isso que assumi a Secretaria de Governo e por isso que também puxei para mim a missão de ser articuladora do Selo Unicef. E terceiro porque eu gosto do convívio com a minha família. Eu quero participar do dia a dia dos meus filhos. Deus me permitiu a graça da maternidade ao lado de um homem que eu admiro e amo, e os meus filhos são as joias mais preciosas que tenho na vida. Nunca tive mandato, mas imagino que conciliar um com três maternidades não seja lá das tarefas mais fáceis. Mas também não consigo ficar calada diante de tanta gente me pedindo ajuda, sabe? Isso me inquieta. Porque eu acho que todo mundo tem o direito de ter uma escola boa pro filho, de ter um hospital bom, de ter uma praça pra encontrar os amigos... Acho que foi exatamente por conta do trabalho que desenvolvi como primeira-dama, como secretária municipal e como articuladora do Selo Unicef, pelas inúmeras visitas que fiz a comunidades extremamente pobres, e principalmente pelo pedido dessas pessoas que precisam de ajuda que meu nome acabou surgindo. Foi um desafio que aceitei e para o qual eu me sinto preparada.

MN

Pelo o que viveu até agora, como a senhora avalia o cenário dessa campanha?

ERIKA

É desafiador eu me colocar como candidata. Primeiro por causa do desgaste da classe política. Mas eu acredito que a gente não deve se intimidar por esse momento. E nem deixar de acreditar em novos rumos pro nosso país. Eu tenho aprendido muito nessa caminhada, que está só começando, e eu vou buscar retribuir a confiança com o máximo de trabalho e coerência com as minhas convicções. A dor das pessoas move a gente. Assim como o amor. E entrar em campanha é viver essas duas coisas ao mesmo tempo o tempo todo. Claro que eu sei que nomes muito mais experimentados na política estão concorrendo. Mas é exatamente o fato de eu ser uma “novata” que me diferencia de muitos dos meus adversários. Eu não tenho cabresto. Eu sou uma candidata livre. Que se espelha no marido, é verdade, porque ele é um ser humano fantástico, um homem de caráter reto e um gestor empenhado, preocupado com as pessoas. Mas sou uma candidata livre. Tenho minhas ideias para melhorar Caucaia e o Ceará, e tenho minha essência de mulher, cristã, mãe, esposa e cidadã. E é com essas “armas” que eu pretendo vencer a eleição. Se o povo me der a honra de ser eleita, eu vou exercer na Assembleia um mandato popular, limpo, íntegro e honesto.

MN

Sua candidatura tem sido muito associada à gestão do prefeito Naumi. Até que ponto a senhora considera isso benéfico, visto que Caucaia tem inúmeros e históricos problemas, e, caso eleita, como essa parceria será trabalhada para render frutos para Caucaia?

ERIKA

Essa associação entre minha candidatura e a gestão do Naumi aconteceria mesmo que a gente não a tivesse provocado. Eu sou esposa dele há 20 anos. Antes de ser candidata, eu sou primeira-dama de Caucaia. Eu ocupei uma das secretarias mais importantes da Prefeitura. Eu fui articuladora de uma mobilização importantíssima pra cidade. Essas posições dentro e fora da gestão me fizeram visitar todo tipo de lugar que você possa imaginar nesse município. Eu tive contato com gente da comunidade mais pobre a empresários. Então, é natural que as pessoas liguem meu nome ao nome do Naumi. Se as pessoas enxergam em mim uma esperança, eu quero estar sempre aberta a contribuir com o máximo que eu puder. Mas é preciso compreender também que neste momento eu estou me colocando como candidata e não poderei interferir no dia a dia da Prefeitura. A lelgislação é clara quanto a isso e eu a sigo à risca. Mas claro que eu fico feliz quando as pessoas me param na rua ou mandam mensagem nas redes sociais associando minha candidatura à administração do Naumi. E é com esse sentimento que eu quero ser deputada estadual. Ter um mandato significa ter a obrigação de olhar para quem lhe colocou lá. Por isso, o que eu puder fazer na Assembleia e junto ao Governo, como parlamentar e cidadã, para trazer recursos para Caucaia, com certeza eu farei. Em mim, o Naumi vai ter uma aliada incansável. Serão quatro anos de muito, muito trabalho.

MN

Caucaia hoje não tem representante na Assembleia. Caso a senhora seja eleita, que pautas devem marcar o seu mandato? Seus eleitores podem esperar o que da senhora?

ERIKA

Eles vão ter em mim uma voz deles. Meu gabinete vai estar sempre de portas abertas pra toda e qualquer pessoa que queira uma Caucaia e um Ceará melhores. Eu me candidatei para ser a voz da mulher na Assembleia. Porque a gente não pode aceitar que mais de 300 mulheres tenham sido assassinadas no Ceará este ano! Eu me candidatei para ser a voz da família na Assembleia. Porque a gente não pode aceitar que a droga acabe tantos lares! Eu me candidatei para ser a voz das crianças e dos adolescentes na Assembleia. Porque a gente não pode aceitar que 60% dos nossos jovens, como aponta o Unicef, vivam na pobreza! Eu defendo, por exemplo, que os empresários participem mais do processo de reconstrução da nossa sociedade. O Estado precisa viabilizar meios para o ente privado desenvolver um projeto social, um projeto esportivo, um projeto de inclusão... Além disso, nossa juventude precisa de mais capacitação e de mais espaços públicos qualificados para a prática de esporte e lazer. Em Caucaia, o Naumi adotou um modelo diferente de areninha que tem a mesma função da do Governo, só que por um preço muito menor. Esse tipo de iniciativa tem que se multiplicar. Quanto mais as pessoas tiverem como ocupar as ruas menos espaço a criminalidade vai ter. As mulheres precisam ser mais estimuladas. Elas precisam de apoio para abrirem um negócio, para tentarem um concurso público, para terem apoio quando forem violentadas. Nós somos maioria em população e em eleitorado, mas as políticas de inclusão da mulher, especialmente daquela que tem alguma vulnerabilidade, precisam aumentar. Porque não, por exemplo, determinar um percentual mínimo de vagas para mulheres em profissões tidas como “para homem”? Quem disse que mulher não pode ser vigilante ou estar na construção civil e na Polícia? A gente pode estar onde a gente quiser estar. E é dever do poder público facilitar e garantir isso.

MN

Na inauguração do comitê central da sua campanha, o prefeito Naumi anunciou que o Governo Federal aprovou os 80 milhões de dólares solicitados pelo município ao Banco de Desenvolvimento da América Latina. E revelou que o Senado deve votar a liberação desse financiamento dia 3 de setembro. Isso significa que Caucaia recebe esse dinheiro quando? E ele vai ser investido em quê?

ERIKA

O recurso deve começar a ser liberado pelo banco, o CAF, ainda este ano e vai ser todo aplicado em obras importantíssimas pra Caucaia. Coisa que a cidade nunca viu ou viu muito pouco em 258 anos de história. A Prefeitura vai construir viadutos e pontes, vai requalificar todo o Centro, vai alargar vias, vai criar ciclovias, vai urbanizar lagoas... O Programa de Infraestrutura Integrada, esse é o nome do conjunto de todas essas e outras obras, vai mudar a cara de Caucaia. Posso dizer seguramente que nós teremos uma Caucaia antes e uma depois dessas intervenções. E eu fico muito feliz em dar essa notícia porque como secretária municipal de Governo do Naumi eu participei, ao lado dele, de boa parte das articulações pra esse dinheiro sair. O Naumi foi inúmeras vezes a Brasília, eu ficava em contato constante com o deputado federal Domingos Neto, que se mostrou um grande parceiro nosso, os técnicos agilizavam toda a papelada necessária... Foi um trabalho imenso que agora é reconhecido e vai fazer com que a nossa cidade entre no rumo do desenvolvimento depois de tanto tempo de atraso. Caucaia é a segunda maior cidade do Ceará e precisa se acostumar a pensar grande. Chega de se contentar com pouca coisa, com projeto pequeno. Os 80 milhões de dólares são necessários porque nosso município é cheio de carências e tem que ser visto com um olhar diferenciado. As pessoas daqui merecem dias melhores, com um serviço público menos falho e mais eficiente. A gente está lutando muito por isso. E eu sinto que Deus está à frente desse projeto.

Entrevista realizada em 31/08/2018

BIOGRAFIA

Erika Amorim nasceu em Fortaleza em 30 de maio de 1979. Durante a infância, morou em Parambu, no interior do Ceará, e no Rio Grande do Sul, retornando para a capital cearense na adolescência. Cresceu em um lar cristão e desde criança foi engajada em projetos da igreja, onde esteve à frente do departamento de crianças e jovens.

É casada há 20 anos com Naumi Amorim, prefeito de Caucaia, com quem tem três filhos. Cursou Administração de Empresas no Centro Universitário 7 de Setembro, quando voltou seu olhar para Caucaia.

Ao se mudar para lá, deparou-se com um município cheio de fragilidades, o que reforçou seu desejo de representar o povo.

Erika apoiou todas as campanhas políticas do marido, hoje é primeira-dama de Caucaia e chegou a ser Secretária Municipal de Governo e Articulação Política.

Tem se destacado por encabeçar mobilizações em prol das mulheres, crianças e jovens. Está à frente da força-tarefa para Caucaia reconquistar o Selo Unicef, por este garantir os direitos de crianças e adolescentes.

Erika trabalha para fazer de Caucaia o segundo maior município do Ceará em arrecadação e geração de oportunidades. Ela tem orgulho de estar junto do povo. Juntos, vamos provar que o sonho de um Ceará melhor não é impossível.

 
 
 
 
Fonte: Metrópole News

ÚLTIMAS Notícias

Fale Conosco

Caucaia-Ce
(85) 3011-1308 | (85) 8121-5746 | (85) 8121-5746
metropolenewscaucaia@gmail.com