Plantão
Política

Prof. Pessoa, um candidato diferente se lança a deputado estadual por Caucaia

Publicado dia 31/08/2018 às 16h01min | Atualizado dia 31/08/2018 às 16h03min
Candidato na Coligação do Governador Camilo Santana, o Prof. Pessoa quer representar Caucaia na Assembleia Legislativa, e para se eleger espera contar com os votos do eleitorado que votou no seu irmão Eduardo Pessoa
Série: “CONHEÇA O SEU CANDIDATO”
 
Candidato na Coligação do Governador Camilo Santana, o Prof. Pessoa quer representar Caucaia na Assembleia Legislativa, e para se eleger espera contar com os votos do eleitorado que votou no seu irmão Eduardo Pessoa, o “guerreiro de Caucaia”. Leia nessa entrevista exclusiva a história, o perfil e as propostas do candidato que inaugura a série do Metrópole News “Conheça o seu Candidato” sobre as eleições.
 
MN – Prof. Pessoa, o senhor já teve a chance de entrar na política de Caucaia inúmeras vezes. Por que somente agora?
 
Prof. Pessoa - Bem, meu pai, Chico Pessoa, foi vereador de Caucaia por 6 mandados e esteve presente por 26 anos na vida política de nossa cidade. Quando ele decidiu se aposentar da política, chegou e disse que eu deveria assumir o lugar dele e me candidatar a vereador. Mas naquela época eu já era um professor bem situado e fazia política acadêmica na Universidade Estadual do Ceará (UECE), e eu achei por bem indicar o meu irmão Eduardo Pessoa para assumir essa tarefa. A ele dei todo apoio, de todas as formas, inclusive financeiro, para que se elegesse vereador por quatro mandatos e tentasse ser prefeito nas eleições passadas. Eduardo se tornou uma espécie de sacerdote da política, não tinha nem vida pessoal, exatamente porque se dedicava tanto aos necessitados que lhe pediam apoio. Com o falecimento de Eduardo, e com praticamente todos os meus negócios e empreendimentos instalados em Caucaia, eu decidi que era minha obrigação oferecer a minha experiência aos cidadãos e cidadãs de Caucaia, apresentando o meu nome como candidato a deputado estadual nestas eleições. É chegada a hora de eu retribuir na política o que a vida me deu na economia. Com um nome limpo e muitas amizades, muita experiência e conhecimento, eu acho que posso ajudar Caucaia e o Ceará exercendo um mandato popular, honesto, limpo e progressista. Por isso, humildemente, peço o voto de todos.
 
MN – Por que o senhor acredita que o eleitorado que votou no seu falecido irmão Eduardo Pessoa, que ficou conhecido como o “Guerreiro de Caucaia” nas últimas eleições, votaria no senhor para deputado estadual?
 
Prof. Pessoa – Veja bem, eu e Eduardo sempre fomos unha e carne. Eu criei o Eduardo desde que ele tinha cinco ou seis anos de idade, quando o trouxe para morar comigo para que ele pudesse estudar em Fortaleza, junto com os outros meus irmãos a quem também ajudei. Toda a educação de Eduardo fui eu quem custeou, todos os empregos de Eduardo fui eu quem arrumou, todos os passos de Eduardo na política fui eu quem decidiu com ele, o apoiei e incentivei em tudo. Até na escolha das suas namoradas eu o aconselhava ou consolava quando os namoros acabavam. Pensávamos quase igual em quase tudo. Além disso, até por ser mais velho, eu muita experiência e tive chances de ter mais formação do que ele, e por isso, acho que se somar tudo, eu posso fazer um belo papel na política de Caucaia e do Ceará. Além do mais, eu já fiz o meu pé-de-meia na vida, trabalhando honestamente e empreendendo com recursos próprios. Nada do que eu construí na vida recebeu recursos públicos. Não devo nada a ninguém, minha família está bem colocada na vida. E, assim como Eduardo, eu tenho um nome limpo e honrado e muita gente me conhece. Agora nesta campanha, sabendo que eu e Eduardo somos irmãos e estivemos juntos em tudo, eu creio que muita gente que sempre o apoiou também se decida pelo meu nome. Se isso acontecer, ficarei muito honrado.
 
MN – O senhor tem uma faculdade grande em Caucaia, uma Policlínica na Jurema, um Hospital Veterinário de ponta em Caucaia e talvez uma das maiores fábricas de doces e de processamento de polpa de frutas do Ceará também em Caucaia, gerando algumas centenas de empregos. Isso não seria suficiente para o senhor se sentir realizado, sem precisar entrar na política?
 
Prof. Pessoa – Olha, eu não estou entrando na política para me realizar, ou para ganhar dinheiro ou fama ou coisa parecida. Eu já conquistei tudo que um homem da minha geração poderia aspirar. Já fui professor da UECE, já fui diretor do Centro de Ciências e Tecnologia daquela universidade, já fui candidato a reitor e fui o mais votado entre os estudantes e os funcionários e o segundo mais votado entre os professores, já fui o presidente do Sindicato dos Professores do Ensino Superior do Ceará, fui concursado do DETRAN-CE, fui diretor do DNOCS. E também sou um homem bem sucedido nos meus empreendimentos. Mas tem uma característica principal nos meus negócios: todos eles têm como objetivo ajudar às pessoas, principalmente àquelas que mais precisam. Desse modo, eu sempre fiz política sem alardear, sempre busquei o bem comum sem me pabular disso. E agora, entrando na política, como um nome novo e limpo, eu penso que posso fazer muito mais.  
 
MN – Prof. Pessoa, o senhor é candidato na coligação do Governador Camilo Santana, que é do PT, embora o senhor seja de um partido um tanto conservador, o Democratas. O candidato a presidente da República do PT é o Lula, que está preso em Curitiba. Não é muita confusão para o senhor tudo isso?
 
Prof. Pessoa – Infelizmente, a política não é uma caminhada em linha reta. Ela é feita por pessoas falhas, porque todos temos falhas e defeitos. Muitas vezes a coerência não aparece assim logo à primeira vista. Em relação ao Lula eu gostaria de dizer o seguinte: nunca nenhum político fez tanto pelo Nordeste e pelos mais pobres como o Lula fez; nunca os ricos e os pobres ganharam tanto e melhoraram tanto de vida quanto no governo Lula. E até onde consigo enxergar, a condenação do Lula foi cheia de erros. Tenho amigos que são altas figuras dos tribunais superiores e me dizem que ela vai cair quando for julgada. Por isso mesmo é estão segurando sem julgá-la, porque não tem como não absolvê-lo. Além do mais, eu não voto no Alckmin, que está sendo apoiado pelo meu partido, exatamente porque estou do outro lado na política aqui no nosso Estado. Sinceramente, sempre vi o PSDB paulista como adversário dos nordestinos, porque eles sempre impediram a criação das zonas de processamento de exportação (ZPE’s), que criariam muitos empregos e trariam muito desenvolvimento para o Ceará e para todo o Nordeste. Tem aí o Bolsonaro, e muitos dos meus eleitores votam nele. Tem Ciro e Marina, que são nomes respeitáveis também. De modo que eu estou bem na coligação do Governador Camilo. Respeito a escolha do candidato a presidente de cada eleitor e não pretendo mudar a escolha de ninguém. E a este eleitor bem informado humildemente peço o voto como candidato a deputado estadual, mas se Lula puder ser candidato, meu voto será para ele. Não vou fazer campanha para ele, porque meu partido não o apoia, mas pessoalmente, meu voto será dele.
 
MN – Que propostas o eleitor, sobretudo o eleitor residente em Caucaia, a sua principal base eleitoral, pode esperar que o senhor defenda, se for eleito para deputado estadual?
 
Prof. Pessoa – Meu amigo bom, reconheço que eu tenho um perfil mais de executivo, de uma pessoa que faz as coisas acontecerem, de um realizador. Mas acho que farei um excelente mandato se o povo de Caucaia e de outros municípios me deram a honra e o privilégio de servi-lo como deputado estadual. Por exemplo, considero uma vergonha escandalosa que um município do tamanho de Caucaia, com a segunda maior população do Estado, não tenha instalado aqui um campus de uma das universidades públicas estaduais. Não tem justificativa para isso. Isso só mostra que os políticos atuando no nosso município não estão preocupados com os nossos filhos, com a nossa juventude e com o nosso futuro. E como professor e educador, eu não posso aceitar um negócio desses. Se eu for eleito, eu darei o meu sangue para trazer um campus da UECE para Caucaia. Vai ter educação pública superior, gratuita, sendo oferecida bem pertinho de todos. Eu sei como fazer, sei mexer os pauzinhos e saberei mobilizar a todos por isso. Também vou lutar para que o bilhete único passe a valer nas vans e topics, não apenas nos ônibus. Vou apresentar um projeto de lei criando consórcios entre as universidades públicas estaduais, e as federais também se elas aceitarem, e as prefeituras, para que se possa oferecer cursos superiores em cada município. Assim, um grupo de, por exemplo, 5 municípios de uma mesma região pode se organizar e oferecer cinco tipos de cursos diferentes, com uma turma de um determinado curso sendo oferecida num município e outra turma de um outro curso diferente sendo oferecida noutro município. É o espalhamento da educação pública superior em todos os municípios, com a ajuda das prefeituras. É fácil de fazer, sai baratinho, e eu sei como fazer!  Também pretendo apoiar a luta dos deficientes por acessibilidade plena e pela pratica do paradesporto. Também vou apresentar um projeto de lei criando no Estado o SUS para animais. A saúde dos animais, que tem aumentado aos milhares, se tornou um caso de saúde pública e o Estado tem de cuidar disso. Peça para os seus milhares de leitores entrarem no site da minha candidatura e lerem o documento intitulado “Plataforma de um Mandato Popular”. Nele estão todas as minhas propostas.
 
MN – Prof. Pessoa, como um nome que está chegando agora na política partidária, como o senhor avalia o problema da corrupção?
 
Prof. Pessoa – Avalio como um problema gravíssimo! Mas também avalio que existe muita hipocrisia na abordagem dessa questão. A corrupção é um dos traços mais marcantes da condição humana. Num certo sentido, e muito difícil ser uma pessoa incorruptível. A corrupção se expressa de muitas formas e é por isso que os livros mais sagrados de todas as religiões têm milhares e milhares de páginas e mandamentos contra a corrupção. Você está sendo corrupto quando oferece propina ao guarda de trânsito que multa você; você está sendo corrupto quando fura a fila no banco. Então, a luta conta a corrupção deve ser uma luta de todos, dos políticos e do povo. O eleitor que pede dinheiro para votar em alguém também está sendo corrupto. Por isso digo ao eleitor que faça como mandava Dom Aloisio Lorscheider, e nosso ex-cardeal de Fortaleza: “Receba o dinheiro de quem tentou comprar o seu voto, mas vote noutro candidato que a sua consciência mandar e que não lhe ofereceu dinheiro”. Se eu for eleito, pretendo apresentar na Assembleia Legislativa a Lei do Lobby, para tornar transparentes as relações entre os agentes do estado, juízes e procuradores, funcionários públicos e os empresários que queiram ter ou tenham qualquer negócio com o estado ou que estejam apresentando qualquer proposta de lei ou de projeto. As relações têm de ser transparentes e claras. E todos têm de saber o que pode e o que não pode. Por exemplo, os cidadãos e cidadãs tem o direito de conhecer o patrimônio de todos os políticos e as suas declarações de imposto de renda sem precisar de autorização da justiça. Quando alguém se torna um homem público, não tem mais direito de esconder nada. É assim que eu penso.
 
MN – Que mensagem o senhor deixa para aquela pessoa de quem você espera receber o voto nestas eleições? 
 
Prof. Pessoa - A minha mensagem vai para todos, tanto para os meus potenciais eleitores quanto para quem votará em outros candidatos. Primeiro, não vote por dinheiro; vote pelas propostas do candidato, com a sua consciência livre. Depois, tenha consciência de que sem a participação ativa dos bons, os maus continuarão mandando sempre na política e praticando maldades contra o povo. Assim, entrar na política é um imperativo cristão, um mandamento do nosso Deus salvador a todas as pessoas, independente de sexo, raça e credo religioso. A política é arte nobre criada pelo próprio Deus vivo para que seus filhos possam praticar a justiça e buscar uma maior igualdade entre todos, pela partilha dos dons e das oportunidades. O egoísmo é que é o grande pecado que deve ser combatido. 
 
PERFIL:
Professor e educador, formado e pós-graduado em Estatística pela Universidade Federal do Ceará (UFC); professor aposentado da UECE; ex-diretor do Centro de Ciências e Tecnologia da UECE; ex-funcionário do Detran-CE e ex-diretor do DNOCS; ex-presidente do Sindicato dos Docentes do Ensino Superior do Ceará. Tido como um homem manso, ponderado e conciliador, foi fundador de escolas particulares, criador do CEUDESP que depois se transformou na Faculdade Gama Filho (FGF) e de várias outras faculdades; criador e atual diretor-geral da FATENE; da Policlínica da Jurema; do Hospital Veterinário Metropolitano de Caucaia e da fábrica de doces e de polpas de frutas Sítio Brasil. Emprega cerca de 400 funcionários só em Caucaia. Membro e ex-presidente do Rotary Club. Casado com a senhora Erivania Furtado Pessoa, é pai de Gezenia, Gelano e Giselle (do primeiro casamento); e de Karisia (do segundo casamento).
Fonte: Metrópole News

ÚLTIMAS Notícias

Fale Conosco

Caucaia-Ce
(85) 3011-1308 | (85) 8121-5746 | (85) 8121-5746
metropolenewscaucaia@gmail.com