Plantão
Caucaia

Por falta de coleta, lixo é deixado em vias e terrenos em Caucaia

Publicado dia 16/01/2018 às 09h31min | Atualizado dia 16/01/2018 às 09h33min
No bairro Metrópole, o lixo é deixado por moradores em ponto onde ainda está programada coleta FOTOS MATEUS DANTAS

Há mais de 15 dias sem coleta regular de lixo devido a impasses entre a Prefeitura e a empresa Marquise, moradores de Caucaia têm tentado encontrar saídas para o descarte dos resíduos. Sem receber o caminhão na porta de casa, as alternativas vão desde o pagamento de pessoas para levarem o lixo a terrenos baldios e avenidas até a queima desses materiais. 

“Antes, era sagrado: dia sim, dia não o caminhão passava às 19 horas aqui na porta da minha casa. Agora, tenho que mandar levar”, explica Francisca Martins, 83. Sem condições de caminhar, a moradora do bairro Metrópole conta que chega a pagar para que catadores despejem o lixo em local onde o caminhão passa. O catador José Luiz Santos, 60, é um dos que chegam a cobrar de R$ 3 a R$ 5 para levar o lixo das pessoas até um terreno próximo à BR-020, onde o caminhão passa fazendo o recolhimento.

Até a tarde de ontem, os caminhões contratados pela Prefeitura só estavam realizando a limpeza nas maiores avenidas. Pessoas que moram distante, estão levando o lixo até esses pontos. Além disso, a falta da entrada do carro de lixo nas ruas secundárias está estimulando a criação de grandes pontos de lixo na Cidade.

Outra preocupação, segundo a dona de casa Rosane Cavalcante, 52, tem sido o aumento de insetos, ratos e baratas. “É um mau cheiro horrível, além de insetos e mosquitos. Ainda mais agora, com a chegada das chuvas”, alerta.

 

No bairro Jurema, ao lado do trilho do VLT, é possível ver uma montanha de lixo e o chorume resultante dos resíduos. Os despejos, que já existiam no local, aumentaram consideravelmente com a problemática na coleta. Pedro Jorge de Assis, 37, mora próximo ao local e conta que na última quarta-feira, 10, teve de chamar os Bombeiros após outras pessoas da comunidade tentarem incendiar o lixo. “Era uma fumaça muito forte dentro de casa”, lembra.

 

Riscos à saúde

 

Marco Aurélio Holanda, professor do Departamento de Engenharia Hidráulica Ambiental da Universidade Federal do Ceará (UFC), afirma que o acúmulo de lixo traz uma série de problemas para a saúde das pessoas e para o meio ambiente.

 

“Primeiro, há a questão da proliferação de animais como ratos, baratas e insetos. O segundo aspecto é em relação à drenagem — esse lixo vai entupir os canos de drenagem durante a estação chuvosa, causando enchentes e inundações e isso é o caminho perfeito para a proliferação de doenças”, alerta.

 

Além disso, de acordo com o professor, a queimada também não é uma saída viável, já que essa fumaça libera gases tóxicos e prejudiciais.

Ainda ontem, em visita aos pontos de lixo, O POVO viu profissionais contratados pela Prefeitura realizando o recolhimento sem as vestimentas e equipamentos adequados. Prática bastante perigosa, conforme Holanda. “Esse empregado está lidando com materias extremamente perigosos, como os resultantes de intervenções médicas, restos de remédios entre outros. Então, ele precisa ter um equipamento de proteção individual em perfeitas condições”, conclui.


Números

200 profissionais estão fazendo a limpeza das ruas, segundo o prefeito
 

 

Fonte: O Povo

Fale Conosco

Caucaia-Ce
(85) 8121-5746 | (85) 8121-5746 | (85) 8121-5746
metropolenewscaucaia@gmail.com