Login to your account

Username *
Password *
Remember Me

Create an account

Fields marked with an asterisk (*) are required.
Name *
Username *
Password *
Verify password *
Email *
Verify email *
Captcha *
Reload Captcha
Imagem Do Topo

Casal deve pagar R$ 7,5 mil a empresária por postagem ofensiva no Facebook

A Justiça do Ceará condenou um casal a pagar R4 7,5 mil a uma proprietária de um posto de combustíveis, em em razão de publicação considerada ofensiva no Facebook. A decisão, publicada no Diário da Justiça de 10 de julho, é do juiz Zanilton Batista Medeiros, titular da 39ª Vara Cível do Fórum Clóvis Beviláqua, em Fortaleza.

De acordo com o processo, o casal de empresários esteve no posto, em 30 de outubro de 2013, para abastecer o carro, no valor de R$ 25. Por conta de problemas técnicos e de inexperiência do frentista, o abastecimento não foi realizado.

Porém, no painel da bomba demonstrava o valor de R$ 50, referente a abastecimento anterior, o que induziu o frentista a erro. Os empresários, então, divulgaram a situação em uma rede social, como sendo vítimas de um golpe praticado pelo posto.

Postagem com 9 mil acessos

A proprietária registrou boletim de ocorrência e recorreu à Justiça, pedindo reparação moral. Alegou que a postagem atingiu mais de nove mil acessos, recebendo inclusive a ligação da Petrobras Distribuidora, preocupada com a imagem da empresa.

No processo, ela afirma ter mantido contato telefônico com o casal na tentativa de resolver o problema, mas acabou sendo agredida verbalmente. Disse, ainda, que a empresa reconheceu o erro e se disponibilizou a repará-lo imediatamente.

O casal defendeu, na contestação, que poderia ter havido prática de crime e que o posto deveria ser investigado pelos órgãos de segurança. Explicou que não apresentou queixa-crime porque os representantes do estabelecimento se negaram a informar o nome completo e o endereço do frentista e do gerente que testemunhou o caso.

 

Sentença

 

Na sentença, o juiz ressaltou que “mostrou-se açodado e irresponsável o comentário feito pela rede social sem, ao menos, ocorrer requerimento para abertura de inquérito para apuração dos fatos”.

O juiz afirma, ainda, que “o valor adequado à indenização pelo dano moral seria de R$ 5 mil em relação à cliente, que praticou a ofensa à pessoa jurídica, e R$ 2,5 mil para seu noivo, que compartilhou a notícia, ajudando a propagar o fato e a confirmar o ocorrido, pois esteve presente no local”.

Ainda de acordo com o juiz, “tal comentário transborda o direito de crítica e a liberdade de expressão em relação ao serviço defeituoso, pois macula a imagem da pessoa jurídica, na medida em que coloca o defeito na prestação do serviço, fato da seara consumerista, como um algo criminoso, com contornos de estelionato”.
Fonte: G:1
Avalie este item
(0 votos)

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.

Nossos Contatos

Entre em contato conosco

WhatsApp - 85 8121-5746

 

ANUNCIE EM NOSSO SITE E APAREÇA DE VERDADE

TEMOS UM ESPAÇO ESPECIAL PARA SEU ANUNCIO

 

Imagens das Postagens

VÍDEO: Homem passa mal e morre na lagoa do Camurupim em Caucaia

AMC e Detran negam conversões de multa para advertência em Fortaleza

Do sonho à realidade, CSP contribui para transformar a realidade de São Gonçalo do Amarante e Caucaia

Incêndio atinge loja de produtos para academia no Centro de Fortaleza

Motorista é morto após tentar jogar carro sobre motocicleta de suspeitos de assalto

VÍDEO: Cinco pessoas caem de brinquedo em parque de diversão

Sine Municipal de Caucaia é autorizado a receber recursos do FAT; só mais 16 no Brasil alcançaram feito

Menina de 13 anos pula de carro em movimento para evitar estupro no Conjunto Ceará em Fortaleza

Policial pega “carona” com mototaxista durante perseguição

PORTAL METRÓPOLE NEWS © 2018 Todos direitos reservados